AÇÕES PASTORAIS

A Pastoral da Catequese tem como objetivo:

  • Preparar a todos, para receberem os Sacramentos.
  • Aproximar todos de Jesus e levá-los a conhecê-lo.
  • Fazer a experiência de viver plenamente com Deus

Por isso a Pastoral da Catequese está dividida da seguinte maneira:

  • 1- Batismo
  • 2- Catequese de Primeira Eucaristia.
  • 3- Catequese de Crisma.
  • 4- Catequese para adultos.
  • 5 - Catequese Familiar.

1 - Batismo: Prepara os pais e padrinhos de crianças de 0 a 7 anos para que a criança receba o Sacramento do Batismo. (crianças maiores de 7 anos são batizadas no processo da Catequese de 1ª Eucaristia).

2 - Primeira Eucaristia: Prepara as crianças a partir dos 9 anos para receberem o Sacramento da Eucaristia.

3 - Crisma: Prepara os jovens a partir dos 13 anos para receberem o Sacramento do Crisma.

4 - Catequese para adultos: Prepara adultos acima de 16 anos, que não tenham recebido o Batismo, a Primeira Eucaristia Ou Crisma, para receberem qualquer um dos Sacramentos ou os três Sacramentos.

5 - Catequese Familiar: Acompanha a família dos catequizandos, proporcionando encontro com os pais periodicamente. E está aberta a visitar as famílias de toda a comunidade para estudos Bíblicos se assim desejarem. Ainda conta com estudo Bíblico mensal na Matriz, aberto a todos.

Informações sobre os mesmos na secretaria da Paróquia.

Importância  da catequese

A Catequese é uma formação permanente de evangelização, que não deve deter-se somente na preparação para os Sacramentos.  E sim levar a família a participar ativamente da vida em comunidade, pois a mesma só persevera na fé, quando é estimulada. Isto pode ser concretizado através da participação da família na missa dominical. Pois a missa é a melhor Catequese. È a celebração onde se faz memória do banquete onde Jesus se doa por inteiro para nós. Não há outra maneira de estarmos mais próximos Dele, do que participar da Santa Missa. “A Catequese Permanente.”


ENCONTRO PARA PAIS E PADRINHOS

 

Disse Jesus - “Eis que estou à porta e bato... “

"Eu sou a porta.

Se alguém entrar por mim será salvo,

tanto entrará como sairá e encontrará vida em abundância.”

J0 10, 9

 

Ser Batizado é comprometer-se a viver como Jesus, na fidelidade ao Pai e aos irmãos mais necessitados. (MT 12,50; 25,40)

 

Missão dos Pais e Padrinhos

Os Sacramentos são presentes de Deus, na nossa vida. Por isso, O Batismo recebido, nos torna mais felizes, pois temos a graça de nos tornar íntimos com Deus. E aí então começa a missão do pai, da mãe, da madrinha e do padrinho.

a) Importância dos primeiros anos da criança:

A estrutura fundamental da pessoa humana se forma até os três primeiros anos de vida. A criança precisa de um ambiente cristão, de amor, de acolhida, de fé, de oração.

Que a criança possa ver no pai e na mãe a imagem viva de Deus que ama com amor eterno.

b)  Dialogar e perdoar:

Garantir um tempo na família para conversar, desligar a TV e valorizar este momento em que se exercita o diálogo familiar. E diante dos conflitos entre pais e filhos, perdoar-se mutuamente. Os pais não são os donos da verdade. Ás vezes, é bom também pedir perdão aos filhos.

c)   Oração na família:

A oração alimenta a fé, nos une ao Evangelho, cria intimidade com Deus, nos faz ver tudo diferente. Uma família que reza unida permanece unida.

d) Participar da comunidade:

A oração cristã nos leva a participar da comunidade, a descobrir a família maior, a Igreja. A criança precisa mais do que os adultos da comunidade, do testemunho de um povo reunido em oração, deste ambiente de fé.

e) Como participar?

Descubra a comunidade mais próxima, informe-se dos horários de missa, da vida comunitária, das pastorais, dos encontros de evangelização, dos grupos existentes, da importância do dízimo. Integre sua família. Se você já vai a Igreja, acolha aos outros.

 

1 - Porque a Igreja Batiza?







A Igreja Batiza por causa da Palavra de Deus.

Queremos ser fiéis a Jesus que também foi batizado

(Lc 3,21-22) e ao seu mandato quando envia

os seus discípulos dizendo:

“Ide por todo mundo e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a observar tudo o que ordenei a vocês. Eis que estarei com vocês todos os dias, até o fim do mundo.” (Mt 28,18-20)

 

 

 

 

 

 

2. O que realiza em nós o Batismo?

a) Torna-nos filhos de Deus

No Batismo, Deus vem a nós para nos amar, nos acolher como filhos, faz ressoar em nós a sua voz: “ Tu és meu filho muito amado do qual ponho a minha afeição” (Lc 3,22). Recebemos de Deus uma vida da graça a vida que não termina. Somos portanto destinados à vida eterna, à plenitude em Deus.

b)Torna-nos membros da comunidade.

Como  filhos, formamos a família de Deus, uma comunidade de fé, de amor, de partilha, que vive e constrói comunhão. Ser batizado é sentir-se Igreja,  membro do corpo vivo de Cristo, disposto a libertar este mundo do  mal e tornar a Igreja mais fiel ao Evangelho. (1º cor 12-14,24) Só daremos frutos se fiarmos unidos a Videira, (Jo 15,15-16)

c) Torna-nos Templos do Espírito Santo

O batizado é templo de Espírito Santo. Através do Espírito Santo nos tornamos morada de Deus. Ser batizado é passar da morte para a vida, é nascer de novo, é comprometer-se com o projeto de Deus, que quer fazer novas todas as coisas. (Ap 21, 3-5)

3 - Símbolos do Batismo

Água Água é símbolo de vida e também de morte. Pelo Batismo morremos ao pecado e nascemos para a vida da graça. A água batismal gera vida nova; nos alimenta e purifica.

Óleo do Batismo

A unção no peito com o óleo do batismo significa que o batizado é ungido para a luta contra o mal. É o óleo do que  trabalha pela causa de Cristo. Torna-o forte, ágil como o atleta. É força de Deus que penetra em seu corpo.

Óleo do Crisma

A unção na fronte. A unção com o óleo do Crisma, óleo perfumado, consagrado pelo  Bispo na 5ª feira-santa. Imprime em nós um caráter novo; somos consagrados para uma Missão no mundo. Ser um portador da Boa Nova de Cristo.

Vela Acesa

A vela acesa no Círio Pascal significa o Cristo Ressuscitado. Ilumina o recém batizado e a sua fé recebida no Batismo deverá também ser luz no mundo. Simboliza a passagem das trevas para a luz.

Sinal da Cruz

Somos acolhidos e marcados com o selo que salva os seus eleitos. Deus nos conhece pelo nome. Por isso o bendizemos.

E os Padrinhos e Madrinhas

Representam a comunidade que acolhe a criança para fazer parte na família de Deus. São eles os segundos pais que garantem a educação da fé das crianças. Junto com os pais zelam pela vida, unem-se á comunidade de fé., participando ativamente, testemunhando a luz de Cristo no dia a dia para o afilhado(a).

O Dízimo como fruto de uma decisão O Dízimo é fruto de uma decisão amadurecida pela reflexão. Uma decisão que persiste enquanto for alimentada e renovada pela fé.

Ninguém dá o que não tem, por isso a generosidade aliada ao senso de gratidão devem estar enraizadas no coração do cristão que se dispõe a ser dizimista.

Se estiverem ausentes a gratidão e a generosidade, ninguém conseguirá assumir o dízimo como um compromisso fiel de participação efetiva na vida de sua comunidade. É reconhecidamente verdadeiro que tornar-se dizimista é um processo que comporta até mesmo algumas dúvidas, angústias e inquietações. Mas estas dificuldades, ao serem paulatinamente superadas vão dando uma consistência ainda maior à decisão tomada.

O dizimista vai percebendo que, pela graça de Deus, é capaz de desapegar-se de um valor material em benefício da comunidade em sua missão evangelizadora. Ele então consegue se dar conta de que a sua contribuição, ou melhor, a sua retribuição através do Dízimo o leva a ser um agente de transformação da realidade que vive em comunhão com os irmãos de fé. O dizimista não cobra privilégios, ao contrário, ele tem consciência de que já é privilegiado pela sua condição de poder participar generosa e plenamente da vida de sua comunidade que depende da participação de todos para ser realmente uma comunidade viva e propagadora do Evangelho.

O caminho da fé é exigente e nele só caminham aqueles que estão disponíveis para abraçar seus compromissos batismais, dentre os quais se encontram a co-responsabilidade pela manutenção da comunidade à qual pertence cada fiel batizado.

O cristão não se sentirá plenamente participante enquanto não assumir tudo aquilo que lhe compete realizar no corpo eclesial. Se a cada cristão corresponde um chamado específico – alguns para o sacerdócio, outros para a vida religiosa e a maioria para a vida matrimonial – a todos corresponde um chamado geral para contribuir na própria medida e capacidade na manutenção e sustento da comunidade, na propagação do Evangelho e na celebração da vida em fraternidade através da sagrada liturgia.

O dizimista, como um destes fiéis chamados por Deus, participa da comunidade de uma forma concretamente responsável, procurando doar o melhor de sua medida e capacidade para cooperar o quanto pode na instauração do Reino de Deus entre nós! Assim refletindo é possível afirmar que o Dízimo é fruto de uma decisão. E se na vida existem decisões das quais nunca nos arrependemos de tomar, certamente a decisão pelo Dízimo é uma delas porque não consta que alguém tenha assumido conscientemente o Dízimo e depois se arrependesse de ter se tornado dizimista!


UNISUPER

PAULU'S FOTOS

BENFEITOR

MONTIPÓ - ESTRUTURAS METÁLICAS E SERRALHERIA - LOCAÇÃO DE ANDAIMES

EMPREITEIRA DE MÃO-DE-OBRA

Grupo de Amor-Exigente

 

 

HojeHoje120
OntemOntem157
SemanaSemana120
MêsMês120
TotalTotal88365